Inutil-Mente

Publicado: 27/11/2006 em romance

(Tree forgivness – tela de Sir Edward Burne-Jones)

[“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo com sabor de fruta mordida…” (Cazuza). Estoriazinha tola largada ao vento, inspirada na cegueira das complicações]

Diante daquela tensão recheada de pensamentos libidinosos, mãos frias e silêncios constrangedores, ele disse: “foi você quem começou”, e ela pensou: “e daí, que importa?”. Afinal, quando começou? Foi quando ela roçou sua calça com seus dedos febris, ou quando você mexia-se ansioso tentando chamar-lhe atenção?

Nenhuma coisa nem outra meu caro, tudo pode ter começado num tempo já perdido nas cinzas, mas vivamente marcado a ferro e fogo na angústia de lembranças por vezes não muito bem vindas e forçosamente adormecidas, mas que ressurgem nalgumas noites de perdida solidão na imensa falta que ela lhe faz. Ou quem sabe tudo recomece, simplesmente incitado, pelo melancólico vazio reincidente da sua vida.Divertido era vê-lo martirizando-se, apavorado diante de inevitáveis reações que como um demônio lhe empurravam perigosamente para ela; lutando contra algo que no seu íntimo ecoava estridente, enquanto inutilmente tentava cerrar os ouvidos, negando o óbvio. Curioso como o medo lhe tornava tolo e infantil, e ao contrário do que esperava, lançava-lhe inevitavelmente ao encontro dela.

Fitou-a assustado, olhos pretos arregalados em pânico, entre a fuga e o inevitável. Afinal era preciso terminar o que alguém havia começado.
.
_ Quem… ?
_ Isto importa realmente meu bem?


(Sarah K > nov/2006)

 
 
 

 

 

Anúncios
comentários
  1. Germe disse:

    alô Sara! vc voltou cheia de pique.

    o cara complica porque parece querer demais do que suporta.

    ;))

  2. Lúcia disse:

    O que se pode controlar são os impulsos. Mas sentimentos e vontades, creio eu que não tem como evitar! Acho que é por ai… Adorei sua visita, volte sempre que der vontade! Afinal as escorpianas se dão bem, risos… Obrigada pelos parabéns. Beijos…

  3. Rob disse:

    Perguntar “quem começou” numa hora destas? Merece um forte tratamento de choque…

  4. Papoila disse:

    Como prometido cá estou eu Sara… Não há como fugir quando tudo começa num tempo que não sabemos precisar mas que a ferro e fogo sabemos que o temos marcado na alma… Quem começou que importa esse pormenor para a eternidade?
    Beijo

  5. Ricardo disse:

    que eu saiba fomos nós quem começamos…

  6. Mai* disse:

    ai… Sarinha essa é minha idéia

    🙂

  7. tibeu disse:

    Adorei seu blog, encantou-me a forma como está escrito. um bj

  8. Bill disse:

    Como demorei tanto pra encontrar seu blog?

    E na faísca de dois olhares, uma pausa de tudo, quando percebem já não se pertenciam mais, os desejos sempre vencem… Mesmo quando tudo se perde dando lugar as perguntas… Mas quem foi mesmo…

    Belíssima escrita.

    :**************

  9. poemusicas disse:

    Existem novidades por aqui, além dos dois textos aue li. Adorei, muito Sarah, muito bom.

    Nossa amizade continua acima de tudo.

    Um beijo

    Naeno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s