A teia do Tempo

Publicado: 19/06/2007 em reflexões
Tags:, ,

“Por seres tão inventivo, e pareceres contínuo

Tempo tempo tempo tempo

És um dos deuses mais lindos

Tempo tempo tempo tempo”  (Caetano Veloso)

siegfried-zademack_boat.jpg

Conta o mito que Cronos, deus do Tempo, matou seu pai, Urano, e jogou sua genitália ao mar, de onde nasceu Vênus, depois disto reinou entre os deuses por muito tempo, mas temendo uma profecia que afirmava que seria destronado por um filho seu, assim que nasciam, ele os devorava impiedosamente. Réa, sua esposa, ao nascer o filho Zeus, o escondeu de Cronos, e assim numa guerra que durou mais de 100 anos, Cronos, mesmo auxiliado pelos Titãs, foi destronado pelo seu filho Zeus que passou a reinar, desde então, sobre todos os deuses do Olimpo.

Já repararam como o Tempo pode ter os conceitos mais antagônicos? Sou fascinada pelos significados do Tempo, como pode simultaneamente ser abundante e escasso, definitivo e efêmero, breve e interminável, adverso e afortunado, benevolente e implacável, curandeiro e destruidor. Como Penélope que tecia de dia e desfazia à noite e com este gesto tentava recriar o tempo, de uma forma diversa, assim também o tempo vai desfiando o mesmo tecido que tece no correr das horas, consumindo-as e  devorando-as inexoravelmnte enquanto as cria, consumindo lembranças que no seu leito incessante foram docemente concebidas. Esse é seu ritmo, sua forma, sua essência – criador e ceifeiro. Cronos não espera por ninguém, seu ritmo incessante determina tudo.

Certo que é melhor tê-lo como agente cooperador e nunca como um algoz, embora quase nunca seja muito fácil obter sua completa cooperação. Caetano bem que tenta, através dos versos do poema citado logo no início, um acordo com ele, veja aqui o poema completo. Mesmo tendo essa imagem amedontradora, concordo com ele, o Tempo é um dos deuses mais lindos! 

Como o deus que engolia seus filhos, o Tempo vai devorando os instantes que acabou de criar – Senhor que é dos séculos e dos segundos, do brilho e das trevas, da saudade e do esquecimento, do viver e do fenecer. Assim ele desceu do Olimpo e veio reinar sobre os mortais lançando sobre todos sua interminável e misteriosa teia que governa vida e morte.

(imagem: Siegfried Zademack)

Anúncios
comentários
  1. Valéria disse:

    Oi Sara!

    Coincidência… Hoje me dei um tempo para enfim assistir “Adeus, Lênin”. Um filme onde um jovem por amor a mãe, pós um período comatoso, resolve “voltar” o tempo antes da Queda do Muro de Berlim. E como ele mesmo admite que o faz de um jeito que ele mesmo gostaria que fosse:

    “O socialismo significa chegar aos outros, e viver com os outros. Não apenas para sonhar com um mundo melhor, mas tornar este mundo um lugar melhor.”

    É lindo o filme!

    E no domingo, “expirou” o tempo de vida de uma Amiga. A qual não tive o prazer de conhecê-la pessoalmente. Mas o tempo de convivência virtual com ela, fez sim a diferença. As lágrimas desceram suaves…

    Ah! Parabéns pela nova casa! Aqui o mozilla deixa eu ouvir a música. Linda, por sinal!

    Beijo grande,

  2. Claudia disse:

    Sara..
    Muito legal seu post…
    O tempo é realmente algo intrigante..
    Fiz um poema c esse tema, vê se vc gosta.

    Sr. Tempo

    Tempo…
    Palavra de ambíguas definições,
    de incompletas adjetivações,
    de infinito significado.

    O Tempo adora brincar de forma dualista,
    está sempre presente,
    e desaparece de repente, sem deixar pista.

    O Tempo é um hábil mestre do disfarce,
    sabe ser impiedoso,
    mas sabe solucionar um difícil impasse.

    O Tempo é algo tão real, vivo, patente,
    e ao mesmo tempo,
    tão relativo, efêmero, volátil, reticente.

    O Tempo às vezes anda calmo, displicente,
    dando à vida
    a aparência de eterna, lenta, indolente.

    O Tempo também pode passar bem veloz,
    fazer você dormir jovem,
    e acordar velho, arrependido ou sem voz.

    O Tempo pode refletir o claro, belo, quente,
    e dessa forma,
    transmitir uma idéia de alegria e vida latente.

    O Tempo ainda pode se mostrar escuro e frio,
    e assim,
    influenciar num clima deprimente e sombrio.

    O Tempo pode ser seu mais fiel companheiro
    quando aos 15 anos,
    você espera ter 18, e assim ser um beijoqueiro.

    O Tempo, por outro lado, pode ser implacável,
    quando aos 80 anos,
    você se olha no espelho e percebe o inexorável.

    O Tempo é assim, incomparável
    e dependendo do momento,
    pode ser odiado ou bem quisto.

    Ele é naturalmente indefinível
    e misteriosamente presente
    sem nunca ao menos ser visto.

    Claudia Fernandes

    Bjosss..

  3. Sarah K disse:

    Lella, eu também assisti este filme, e é verdade, ele recria o tempo de uma forma arrebatadora.
    Adorei Claudia! … assim como adoro o jeito do tempo…
    😉

  4. Maria Papoila disse:

    Querida Sara:
    O tempo!
    “Se o tempo estivesse à venda vendia-o… Vendia até a razão… Só eu não me quero à venda…”
    Fascina-me também o tempo. Adoro essa cantiga de Caetano.
    O tempo e o amor… o desacerto…
    Deixo-te com Luís de Camões…

    Tanto de meu estado me acho incerto

    Tanto de meu estado me acho incerto,
    Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
    Sem causa, juntamente choro e rio;
    O mundo todo abarco e nada aperto.

    É tudo quanto sinto um desconcerto;
    Da alma um fogo me sai, da vista um rio;
    Agora espero, agora desconfio,
    Agora desvario, agora acerto.

    Estando em terra, chego ao Céu voando;
    Nu~a hora acho mil anos, e é de jeito
    Que em mil anos não posso achar u~a hora.

    Se me pergunta alguém porque assim ando,
    Respondo que não sei; porém suspeito
    Que só porque vos vi, minha Senhora.

    Luís de Camões

    Beijos

  5. Mel disse:

    Tempo… Muitas vezes amigo, noutras, inimigo mortal!!
    Beijinhos

  6. Camila disse:

    e eu ouvindo caetano cantando isso inda agora! conhecidência boa… beijo grande, sarita.

  7. Marcelo disse:

    Ixe que casa bunita minina…uma música amena, uma flor..de qualquer cor amarela…o tempo, o tempo e o tempo…também ele me devora todos os dias…o tempo é o Deus da sintese e do desapego…guarda o que lhe serve e esquece o que lhe entristece…bjs bjs Marcelo…viu como tá xuveno na nossa city? – vixe Maria!

  8. G. disse:

    Oi, minha menina! Excelente isso tudo o que você disse, tenho uma fascinação enorme pelo tempo (uma vez escrevi uma micro série em dez capítlos para o Tio Maneco….rs). Olha, pra você enlouquecer de vez, não deixe de ler “A Intuição do Instante” de Gaston Bachelard – Editora Verus.
    bjs

  9. Engraçado!
    Acabei de postar algo em meu blog sobre o “Tempo” e sobre “Relógios”… Agora chego aqui e vejo vc falar de Cronos? Que delícia.
    Dos filhos de Zeus, Cronos é o mais chatinho rs.
    Beijoooooooooooooos

  10. Trovão disse:

    TEMPO

    Cronos não quer o tempo
    Rebela-se contra a prisão nas horas
    No Olimpo, demoram-no com uma métrica
    e de belo deus selvagem,
    senhor do infinito,
    tornou-se velho corcunda,
    obediente servo dos homens
    Cronos, impotente,
    chora.

    beijão.

  11. Sarah K disse:

    Belo texto Trovão!
    Mas discordo, não acho-o impotente nem servo.

    bjs! 😉

  12. unzuhause disse:

    Oi Sarah!

    Linda tua reflexão. A mitologia sempre é um manancial de arquétipos que iluminam a condição humana de qualquer lugar e TEMPO rs. E, como os grandes arquétipos, o de Cronos não deixaria de ter essa dupla face, benfazeja e demoníaca, com a qual nós frágeis seres temporais temos de nos haver sempre. beijos

  13. Ricardo Rayol disse:

    O tempo é mesmo um senhor cruel. Escasso e ilimitado. Qaundo mergulhava percebia o quão longo eram um minuto. Em terra se vai num átimo. belissimo texto e mitologia.

  14. babi disse:

    oi querida, que lindo este teu novo espaço,
    vou atualizar o link
    beijinho

  15. elisabetecunha disse:

    o TEMPO não pede licenças!

    Já te atualizei!
    beijinho!

  16. ariane disse:

    olá menina!

    aqui tá muito lindo!!!

    adorei o texto, sou fascinada por mitologia e simbolos…

    beijo

  17. Bill disse:

    Que belo post (=

    Tempo senhor das horas que nos faz marionetes de nós que o criamos…

    “O tempo é muito lento para os que esperam, muito rápido para os que têm medo, muito longo para os que lamentam, muito curto para os que festejam.

    Mas, para os que amam, o tempo é eternidade”.

    {Shakespeare}

    Gostei demais do post x)

    Beijo moça.

    :****

  18. Lidiane disse:

    Sara.

    Amo essa imagem.
    Amo muito.
    Aliás, Siegfried Zademack me tira o fôlego.
    Vez ou outra posto lá no Giramundo.

    E o tempo… às vezes pode ser o nosso maior amigo. E, o pior dos inimigos.
    Nem sempre é fácil escolher o lado em que ficar.

    Beijo, viu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s