SOLIDÃO

Publicado: 12/08/2007 em reflexões

 so.jpg

Condição  primeira, inseparável, incontestável.

O homem, desde o ventre, mergulhado no líquido materno e na escuridão do útero, flutua só e aconchegado. Seu silêncio dos primeiros tempos, a observação contínua de um mundo novo e desconhecido, tantos à volta, mas ele chora por estar só e confinado no silêncio da sua mudez primordial.

Passa pela vida e a constrói como um planeta, em sua órbita veloz, viaja por tantos olhares, abraços, trocas, encontros, contatos, sorrisos, silêncios, murmúrios e multidões que lhe cercam e ao mesmo tempo lhe deixam tão só, como ínfima estrela brilhando na infinitude do universo. Tantas vezes cercado de milhares de vidas que vêm, permanecem, passam ou se vão.

E no momento final estar só outra vez mirando unicamente a si, fitando seu brilho que se esvai, escutando seu silêncio e a sua imensidão interior.

(foto gentilmente cedida por:  Sol Zion)

Anúncios
comentários
  1. Lidiane disse:

    Nossa, que profundo, Sara!
    E adorei a foto.
    Se parece com alguém que eu conheço!

    O Delicatessen é de quatro amigas. Nossas carinhas estão do lado direito do blog.

    Beijinho.

  2. Ricardo Rayol disse:

    Das cinzas viste às cinzas retornarás. Interessante como corremos e não saimos do lugar. Belo texto.

  3. unzuhause disse:

    Lindo texto. Estive fora da blogosfera por uns dias, devido a problemas técnicos. Eis que, na volta, recebo esse presente que é ler palavras tão sensíveis e belas. beijos pra ti 😉

  4. Claudia disse:

    Perfeito..
    Penso sempre sobre isso..
    Bjo gde.

  5. mendes disse:

    Sara, esta foto me lembrar de minha infância, na chapada diamantina. Sentava numa pedra com aquela vista maravilhosa, e soltava os pensamentos… valeu, bjs,

  6. Rumblefish74 disse:

    Uau, que beleza de post! Tem uma melancolia que me identifico, mas também uma visão ao mesmo tempo muito lúcida, poética e ampla das coisas.

  7. babi disse:

    lindo post …
    lindão

  8. Vampira Olímpia disse:

    Olá Saroca,

    vou cantar uma musiquinha pra vc, do Barão Vermelho:

    “Solidão, amiga do peito
    me dê tudo que eu tenha por direito
    me diga… me ensina…
    Ao dormir não sinto medo…”

    Beijoooooooooooooos

  9. aa disse:

    Fazia tempo que não lia algo tão bom, especialmente o primeiro parágrafo.
    Muito sensível. Com cara de cultura cyber, dizendo muito com poucas palavras.

    …petits baisers.

  10. Edson Marques disse:

    Sarah,

    Jamais experimente a Liberdade se você não for capaz de suportar a Solidão.

    Abraços, flores, estrelas..

    .

  11. elisabetecunha disse:

    SARAH

    PERFEITO!!!!

    🙂

  12. Mel disse:

    A solidão nos acompanha… Nunca estaremos longe dela, é uma das condições de nossa existência, Sarah. Texto perfeito.
    Um beijo, voltei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s