Ser ou não Ser

Publicado: 30/09/2007 em comportamento, reflexões

reno-larson_dou-descarga.jpg 

Outro dia fiz uma ótima descoberta e de lá catei este silogismo:

“Ninguém é feliz no casamento.
Ninguém é feliz no adultério.
Ninguém é feliz na solidão.
Logo, ninguém é feliz.”
(o Homem Sincero)

Somos felizes? É a pergunta que não quer calar quase sempre em nossos ouvidos.
O ser humano difere-se dos outros seres vivos inegavelmente pela sua capacidade de sentir prazer, sua busca e saciedade. Desta busca cria-se a expectativa de ser feliz ou não.

A sensação de felicidade deve ser inversamente proporcional ao nível de exigência de cada um. A gente vive querendo a perfeição, quanto mais maduros, mais seletivos. Será este um caminho para a infelicidade? Queremos filhos perfeitos, corpos perfeitos e bem definidos, juventude eterna, maridos e mulheres perfeitas, amigos invejáveis, o emprego fantástico dos sonhos, sem contar os mirabolantes sonhos de consumo material inculcados cotidianamente em nossas mentes pela mídia.

Já dizia o poeta “A felicidade é como a pluma que o vento vai levando pelo ar, voa tão leve, mas tem a vida breve, precisa que haja vento sem parar…”.
Felicidade é algo por demais efêmero e fugaz. Nessa conjuntura a afirmação “menos é mais” cabe perfeitamente. Ser feliz é desejar apenas o necessário, o equilíbrio que vem do desapego. O que na verdade existe são momentos em que estamos felizes ou não felizes, e assim é necessário. Para que a sensação de felicidade exista precisamos provar o gosto amargo da sua falta.  Estar infeliz é preciso. Você concorda?

(foto: Reno Larson)

Anúncios
comentários
  1. Edson Marques disse:

    Concordo até certo ponto.

    A partir daí, dicordo radicalmente!

    É um belíssimo texto, esse teu. Somos envolvidos por tuas palavras deliciosas e bem colocadas…

    Mas, para mim, felicidade real é aquela proposta pelos filósofos cínicos. Qualquer outra é pouca!

    Uma coisa: além do casamento, do adultério e da solidão – existe algo deslumbrante, não citado no “falso silogismo”: O solteiro livre.

    Este pode ser feliz!

    Bem, obrigado pela visita ao blog Mude e pelo comentário sobre as musas.

    Acontece que quando tentamos defender relacionamenteos duradouros (e brilhantes) as estatísticas nos contradizem radicalmente.

    Mas, sinceramente, depois de casar cinco ou seis vezes, eu AINDA as considero MUSAS.

    Todas elas!

    Mas a Vida não é assim…

    O Tempo é um sapo!

    Abraços, flores, estrelas!

    .

  2. Todo mundo quer SER feliz e às vezes nem percebe quando ESTÁ feliz.

  3. Claudia disse:

    Eu concordo sim..
    Se ler meus textos e poemas verá que sou extremamente pessimista e acho sim q a infelicidade faz parte da natureza humana.
    Agora, sem ser piegas, acho q felicidade não está em nada do lado exterior de nós. A felicidade está no estado de espírito…
    Qdo esse espírito está feliz, nada mais lá fora importa.
    BJo, querida.

  4. Ser ou não ser ?
    Muito bom o texto. Concordo com você, parece que as pessoas mais simples aparentam maior felicidade. Já me questionei diversas vezes se sou feliz, ou se algum dia já fui.
    Talvez seja necessário ser infeliz para perceber o que é ser feliz.
    Ainda não sei, mas busco encontrar respostas, e quem sabe poder afirmar algum dia que hoje estou feliz.
    Beijo.

  5. Vampira Olímpia disse:

    Freud disse que a felicidade não existe já que trata-se de uma busca eterna pelo ideal do eu. Traduzindo rasamente: o que existe são momentos alegres e momentos de tristeza. Isso sim podemos experimentar… já a felicidade…
    No entanto, Saroca, não se trata de um pessimismo, pois qualquer reflexão filosófica nesse sentido não pode tampar a simplicidade da vida…
    beijooooooooooooooos

  6. w.Moscolini disse:

    Ei Sarah!!! Quer polêmica???
    Não vou ousar falar de felicidade aqui, quanto menos concordar ou negar com suas palavras. Mas queria lhe pedir uma coisa…
    Olhe-se no espelho, nestes catanhos-rubros, o que eles lhe contam, são felizes?

  7. unzuhause disse:

    Sarinha,
    muito linda tua reflexão, concordo contigo. os dissabores nos fazem fruir melhor dos bons sabores, tanto mais refinados (e difíceis) quanto mais nossa exigência inevitavelmente cresce.
    beijos

  8. Ricardo Rayol disse:

    a felicidade é mutante e momentanea.. depende muito do estado de espírito… podemos viver felizes e infelizes ao mesmo tempo, eu cho.

  9. Natalia disse:

    O ser humano está sempre em busca da “felicidade”. Quando consegue o item que lhe fará feliz logo encontra outro para substituir… concordo com o clichê “a felicidade está nas pequenas coisas” pois a sensação de felicidade ao receber um abraço sincero de uma pessoa querida se estende bem mais que o euforismo de uma loucura consumista, por exemplo.

    É um questionamento interessante, dá pano pra muita manga…

  10. Anne disse:

    Em mtos momentos sim, sou mto feliz…mas acredito que não se pode ter isso o tempo todo! Acho que a felicidade é feita de momentos mesmo e os momentos não tão felizes fazem parte, talvez justamente pra mostrar o quanto é bom ser feliz! Acho que a busca dela tb é o que nos faz querer melhorar sempre!!! Bjos

  11. Amélie disse:

    Felicidade é um estado de espírito, mas a gente acha que não…

    Beijos

  12. elisabetecunha disse:

    Quer ficar feliz?
    vai ler a situação da sua amiga no Salvador shopping!
    eu mereço!

    🙂

  13. Mariposo-L disse:

    Concordo com você, a felicidade em apenas um momento na vida que nós faz bem e está muito além de consumismos e bens materiais , não é duradoura, mas pode acontecer essa sensação pode acontecer varias vezes …

  14. marcelo disse:

    Quando pensamos em felicidade material – ela se torna dificil – alguns terão e muitos e muitos sequer terão…nós sabemos disso! q

  15. marcelo disse:

    quando acreditamos em algo e caminhamos com a cabeça erguida, com calma percebendo as coisas que estão ao nosso redor, as pessoas idem, sabemos muito bem bem que a felicidade é um ponto de vista e existe…já viu quao lindo é o nosso mar? – dá prá não acreditar em felicidade?

    bjs bjs

  16. Lidiane disse:

    Sara do coração, não te esqueci, não.
    Juro.
    É que simplesmente ando plainando por aqui, sem comentar.
    Só lendo os blogs.
    Coisas de silêncio momentâneo.
    A tal busca da felicidade silenciosa.
    risos

    Sabe… tenho pensado sobre o assunto do seu post.
    Ser feliz, estar feliz…
    Acredito que somos de momentos, com tendências à felicidade, se soubermos ver a cor no cotidiano.
    Eu quase sempre vejo, outras vezes…

    Beijos e carinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s