Lição de Mulher

Publicado: 07/03/2008 em comportamento, mulher, reflexões

 

                       [Uma reflexão no Dia Internacional da Mulher]

Sou alguém que nasceu e cresceu num mundo de força e poder femininos. Fui menina de olhos esbugalhados e orelhas grandes que floresceu cercada desta força. Via minha mãe, diariamente, comandando e nutrindo nossa família. Ia à escola e presenciava outras mulheres, protegidas num hábito negro, no comando de uma grande instituição.

Cresci acompanhando estórias de mulheres fortes e sensíveis, corajosas e engajadas. Mulheres como Leila Diniz, Frida Kahlo, Simone de Beauvoir, Pagu, Madre Tereza …
Cresci dentro desta forte perspectiva feminina e foi extremamente natural para mim enxergar o mundo através da ótica deste sutil poder. Algo tão divino quanto paradoxal. Ao sair do meu universo particular, me lancei ao mundo e deparei-me com nossa sociedade dita machista. Naquele dia, eu adolescente, entre gloriosa e dolorida, percebi que viveria para contestar o “mundo dos homens”.

Naquele tempo também percebi algo contraditório na essência masculina, algo que não combinava com a imagem de força que lhes era imposta. Percebi a fragilidade masculina que se escondia por trás da dolorosa máscara de frieza e força. Afinal não é fácil ser macho, é preciso demonstrar insensibilidade, ser infalível, forte e poderoso o tempo todo!

Pois é, nem sempre é divertido ser homem. Imagine que eles não têm o direito de chorar. Devem enterrar os filhos ou os pais impassíveis. Não podem dizer “eu te amo” com naturalidade, nem demonstrar docilidade; escutam desde pequenos: “ora, isto não é coisa de homem!”.
É sabido: Homem não chora. Homem não diz que ama com todas as letras, apenas responde “eu também”. Filmes? Nada de comédia romântica, só aqueles com muita ação e sangue para todo lado. Homem não pode dizer que sente medo, nem que sente dor. Homem não se perde nem fica perguntando onde fica “tal” lugar. ‘Homem que é homem’ não pode usar camisa nem calça rosa, imagine a cueca então! Homem nunca é traído, neste delito nunca é vítima e sim vilão. ‘Homem que é homem’ nunca brochou. E se acontecer? Existe a frase salvadora: “isto nunca me aconteceu antes”.

Realmente, desta forma, ser ‘homem’ não é nada fácil! Uma tarefa hercúlea, eu diria.
Mas, felizmente, a cena não é tão heróica como aparentou ser, e podemos ver por aí muitos homens libertando-se deste fardo e permitindo-se fortes de uma forma mais leve e humana. A força que permite fraquezas, que convive com fracassos, à qual me referi no início deste texto, a força inteligente e sutil do feminino.

Ei garotos, estamos aqui! Qualquer coisa, gritem!! E podem chorar também … não dói nada.

** [Leiam o desabafo muito pertinente do Cejúnior.] **

(foto: J. P. Souza)

Anúncios
comentários
  1. Carmen disse:

    Sara Lindos os dois últimos posts e músicas…Não adianta, mas é bem verdade que o sofrimento aprimora nossas virtudes e talentos…Fiquei emocionada pela compreensão com os machos nossos ( Henfil tinha um texto com esse teor, mas muito semelhante !)Bjs, querida e continua, assim, estou adorando !!!!

  2. Mila disse:

    Oi Sarah!!!!!!!!!
    Posso dizer que seu post tá perfeito, até porque a maioria das mulheres pensa exatamente assim. Apesar de todo o machismo adoro ter nascido mulher… É como se diz: as últimas palavras são do homem: “SIM, SENHORA!”. Bjos, mila.

  3. *£ua* disse:

    Esses elementos de nossa cultura, que diz que mulher faz isso e homem faz aquilo estão completamente desatualizados… Quem ainda persiste nisso é porque ainda não se permitiu chorar, dizer um “te amo” com todas as letras… E nem imaginam eles como é bom… =]]
    Beijo grande!!!

  4. Fê_notável disse:

    Cultura machista… ainda bem que, mesmo que seja paulatinamente, essa cultura está mudando!!! Ainda bem que nós estamos começando a ouvir: “Eu te amo”… logo logo, vem as comédias românticas e o choro!… Pelo menos, assim eu espero! hehehe
    Beijão

  5. Banda -Inpulse disse:

    Olá Sarah adorei o teu post em parte tudo isso é verdade, mas o machismo é igual à estúpidez….(digo eu)
    Na minha parca existência de vida por muito passei http://dante999guitar.blogs.sapo.pt/ que poderás ver no mue blog…..e em certas altura os meninos não podem chorar…..
    Quando estive aí no brasil realmente verifiquei que é dificil abrir o nosso blog…..talvez por ser de gente “bandida”……..rsss
    Um abraço
    Dante (camaliao@clix.pt)
    Inpulse

  6. Loba disse:

    Muito bom o seu texto!!!
    Infelizmente, vivemos numa sociedade machista que é não só aceita como alimentada pela mulher. É muito bom qdo vemos o homem como um parceiro, sujeito às mesmas fragilidades nossas, mas tb donos da segurança que precisamos. Isso é equilíbrio, é ser humano!
    Beijos querida.

  7. marcio disse:

    o texto duro forte , contundente, verdadeiro, fico perguntando-me o por que dessa cultura, desse esteriótipo machista da sociedade para com o homem.Que também chora, porque tem motivos, pois tem angustias, decepções, saudades, amores, e infelizmente não que ou não pode ou tem vergonha de externar o que sente no fundo do peito que clama e clama…..Um grande abraço a todos!!!!!!

  8. Cejunior disse:

    Sarah, grato pela citação. Sabe, lendo seu post fiquei pensando em minha mãe que criou sozinha 2 adolescentes, após a morte de meu pai. Na época não percebi mas, foi uma lição para toda a vida.
    Esse post está forte e belo. Uma grande homenagem ao Dia Internacional da Mulher.
    Um beijão e parabéns!

  9. Vampira Olímpia disse:

    Saroca, nesse dia não poderia esquecer dessa baiana “retada” que tanto gosto.
    Parabéns para vc e para nós!
    Seu blog está lindo…
    beijoooooooooooos

  10. elisabetecunha disse:

    Linda Sara

    Orgulho-me de vc………
    texto lindoooooooooooo!
    beijos

  11. Rob disse:

    Sara, não há como discordar, vejo muito por aí isso que você descreveu tão bem – uma aparência de força mantida a todo custo. Talvez eu tenha tido sorte ao perceber isso já adolescente e me livrar desta carapaça babaca de machismo. Mostrar dor e incerteza – bom, vc já me viu estrelando este filme.

    Agora, a Loba tem razão ao falar que a sociedade machista é, às vezes, alimentada pela mulher. Sinceramente, como vocês reagiriam a um cara que na hora da brochada dissesse: “querida, estou preocupado, isto tem acontecido com muita frequência ultimamente”. (*)

    (*) fico imaginando uma mulher ciumenta: “como assim? quero saber com quem mais você andou brochando ultimamente!” 🙂

    Pois é, mais uma vez o comment começou sério e terminou em pastelão…

  12. Sall disse:

    É bom por aí mesmo…rs, a maioria dos homens realmente não consegue fugir desse perfil, ainda bem que uma pequena parcela deles resolve criar blogs, tocar seus intrumentos e outras válvulas de escape…rs. Mas, se precisar, eu procuro, ok? Bj!

  13. ‘A força que permite fraquezas, que convive com fracassos, à qual me referi no início deste texto, a força inteligente e sutil do feminino.’

    ainda bem que nos permitem fraquezas às vezes também.

    feliz dia internacional da mulher pra nós!

  14. Menina_marota disse:

    Excelente e comovente o teu texto…Gostei.
    Um abraço e bom domingo 😉

  15. Paloma disse:

    Que bom ter lembrado, nesses dias de tanta conversa sobre mulheres, do universo masculino. Muito sensível. Adorei!

  16. Edson Marques disse:

    Belíssima reflexão!

    Não existem verdades definitivas.
    Se você tem alguma, revise-a.

    Abraços, flores, estrelas..

  17. mendes disse:

    Sarita, responderei na linha do Pilórdia.com, ou seja, por meio de terceiros.
    o Comentário abaixo foi do Cêjunior para o blog Terapia da Palavra a respeito de um post chamado “Nem morta, fiota” (use o link http://terapiadapalavra.blogspot.com/2008/03/nem-morta-fita.html)

    O Texto: “Minha doce Rachel, essa história de medo simplesmente me dá muuuuito medo!
    Afinal, sou o único homem numa casa onde moram mais quatro mulheres (cinco, se contar a daschund).
    Quem mata baratas, borboletas, aranhas, mariposas, lagartixas, ratos e qualquer coisa rastejante ou “voante” (ou pior, os dois juntos) sou eu mesmo, sem o menor apoio ou ajuda da galera que, nessas horas, se tranca no primeiro cômodo livre de tais criaturas!
    E ainda tenho que mostrar o cadáver, para provar que eliminei o perigo!!!
    Pergunta se alguém quer saber se tenho medo de uma dessas coisas ?
    Claro que tenho, tenho pavor de aranha, vespa, abelhas e afins…
    Ferroada de vespa dói prá burro e já fiquei com a mão esquerda do tamanho de um pé por causa de abelha!
    Em sinal de protesto, não vou ler o artigo da Bons Fluidos!!!!
    Pela liberação do homem da função de matador de insetos!!!! Abaixo a ditatura feminina do medo!
    Pelo direito do homem de também ter medo de barata!” Pois é, eu tô no mesmo barco, mato o bicho, mas… Bjs, Mendes.

  18. mendes disse:

    Sarita, que fora… agora que eu percebi seu toque sobre o “desabafo… do CJr).
    bjs,

  19. mariposo-L disse:

    Relamente esses textos que comparam homens X mulheres, me confundem as vezes nunca sei quando é realmente uma critica ou talvez será uma critica ?????
    De qualquer jeito me atenho ao foto que homem e mulheres são seres totalmente diferentes e claro muito mais criticados pelas mulheres …. mas a realidade mostra que as mulheres não vivem sem um Homem ….. ufaaa falei … ainda bem que não é mais o dia internacional da mulheres …. kkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s