LIXO ou Luxo?

Publicado: 10/03/2008 em baianidade, reflexões, só se vê na Bahia, vídeos
Tags:, , , , ,

Noite dessas, uma turma fazia um luau lá na praia do Buracão (aqui no Rio Vermelho) e simplesmente, sem que ninguém esperasse, apareceu Carlinhos Brown (que mora numa casa bem na beirinha da praia) para participar fazendo percussão.
Que luxo, eu pensei… Uma noite desta não tem preço! E lembrei-me de um artigo que li certa vez na ‘Vida Simples’ sobre os sentidos do luxo.

O que é luxo, o que chamamos de chique? Geralmente associamos esses conceitos à riqueza material, sucesso, elegância, glaumour, artefatos de grife; ao prazer e à felicidade de vivenciar situações ou possuir coisas vinculadas a estes conceitos. Entretanto no momento que abstraimos estes significados materiais e despertamos nossos sentidos para pequenos acontecimentos que fazem toda a diferença, que nos causam relaxamento, bem-estar e surpresa, que capturam nossos sentidos conduzindo-os ao mundo incrível do lúdico, percebemos o sentido mais amplo desta palavrinha.

Outro exemplo disso foi esta cena:  manhã, hora do rush. Enquanto uma multidão de pessoas entra e sai de uma estação de metrô, um homem chega calmamente, e próximo a uma cesta de lixo encosta-se à parede, retira um violino da mochila, começa a tocar. A multidão que passa por ali praticamente o ignora, uma única pessoa se dirige a ele, encantada com o ‘clima’ criado, e outras poucas lhe deixam moedas ou param para assistir. Nesse contexto, o músico toca por quase uma hora.

Veja! [o vídeo é curto e acelerado em alguns momentos]

O músico pedinte, na verdade, é um dos mais renomados violinistas do mundo – Joshua Bell. Naquela manhã ele executou, com seu Stradivarius avaliado em mais de 3 milhões de dólares, a mesma sinfonia que havia tocado no Symphony Hall de Boston semanas antes, só que na ocasião a entrada não era franca. Para assisti-lo, assim tocando seu violino, que nem naquela manhã no metrô, bastava pagar a ‘módica’ quantia de U$ 100,00. O Symphony Hall lotou!

Perceber o luxo nas pequenas coisas, na simplicidade é um exercício de libertação. Libertação do stress, da rotina massacrante, do desencantamento, da escravização que a mídia nos impõe ao consumo cego.

Abrir os olhos para o “verdadeiro”.
O verdadeiro significado dos raros e preciosos momentos de genuíno prazer que algumas vezes, no correr apressado das horas, despontam mascarados à nossa frente. A real sensação de felicidade e prazer não custa quase nada, basta estar ATENTO, assim como aquela única pessoa que se dirigiu ao músico pedinte lá na estação do metrô.

[Sobre este episódio leia  AQUI]

** Dizem que Joshua ficou muito decepcionado de não ter sido reconhecido… Já aqui, os baianos muito calorosos, deram as boas vindas a Brown e tendo a lua como testemunha tiveram uma noite puro luxo. **

Anúncios
comentários
  1. Ricardo Rayol disse:

    Esse Joshua foi tentar arrumar mais algum… mas mesmo assim esses momentos são mágicos.

  2. Paloma disse:

    Adorei! Sobretudo porque já morei no Rio Vermelho e já caminhei tanto até a praia do Buracão! Saudades imensas do luxo que é a Bahia!

  3. livia disse:

    Joshua Bell é um renomado musico.tenho algumas gravaçoes dele(especial que ouço muitas vezes:estrellita de Ponse de leon(mexicano)em arranjo c para sinfonica.Lindo.Esta situaçao tambem foi feita no brasil com um musico(menos conhecido)da Sinfonica do Rio,a questão nao é apenas ser reconhecido é a falta de sensibilidade,afinal,são dois grandes musicos.Claro,se fosse um astro de rock(todos se apinhoacariam nao para ouvi-lo,mas para ve-lo(pedir autografos,tirar fotos,aparecer ao lado do famoso(triste tempo.Queremos os 15 minutos de fama(asvezes com mediocres…mas nao paramos os 15 minutos para OUVIR com ALMA uma bela musica tocada por um excelente artista.As vezes eu duvido que possamos mudar o mundo(a gente nao ssabe ouvir as coisas mais importantes desse mundo!!!)Ainda assim fiz um post querendo ser positva.Vale o esforço,vai que alguem nos escute,como o passante ,que deu 15 minutos a si,para apaziguar a sua alma com uma bela obra.A gente tenta.Abraçao querida.

  4. Ana Carla disse:

    Adorei o post!!
    Realmente nossa vida é cheia de momentos luxuosos, é só a gente observar mais nosso dia-a-dia!

    Beijo

  5. Carlos Emerson Jr. disse:

    Acho que é o problema é esse mesmo… se fosse um BBB ou algo assim, todo mundo ia reconhecer! Já um músico erudito…
    O lado bom disso é saber apreciar uma boa música de um grande músico, completamente “di grátis”! E isso não é para qualquer um.
    Um beijo e uma boa semana.

  6. elisabetecunha disse:

    Sara

    Me chamaaaaaaaaaaa!
    sacanagem!
    rsrsrrsrs

  7. rachel disse:

    Hi! Vim retribuir a sua visita! Também gostei muito daqui… voltarei mais vezes…
    Bisous,

  8. Amèlie disse:

    Passando pra te ver! Lembrando de Marina:

    “Não quero luxo, nem lixo, quero gozar no final”.

    Beijos muitos.

  9. babi disse:

    Amei o post, estou precisando reencontrar a fé nas pessoas, amei a história do violinista.
    Obrigada!
    Bj

  10. Edson Marques disse:

    Sim, devemos abrir os olhos par o sublime, que quase sempre vive ao nosso lado…

    Abraços, flores, estrelas!

  11. mariposo-L disse:

    Sara , realmente, quando começamos a observar melhor tudo que nós rodeia, percebemos como a vida no presenteia de minuto a minuto .

    Agora venhamos cá heim … Carlinhos Brown ..uauuuuuuuuu tudo de bom …..

  12. vanda disse:

    oi Sarah!
    como sempre um óptimo texto e um excelente assunto
    gosto de passar por cá e aprender contigo pena que nem sempre o tempo ajude

    beijos e continuação de uma boa semana

  13. Dono do Bar disse:

    Carlinhos Brown…blargh! Vomitei!

  14. Paloma disse:

    Sarah, estava passeando por aqui, lendo outros dos seus posts e vi o selo d acampanha contra o comércio de animais. Achei maravilhoso – lembrar as pessoas de que existem muitos bichinhos que podem ser adotados. Estou levando a campanha para o Colar também. Assim como a campanha digital contra o preconceito! Excelentes iniciativas!!
    Beijo!

  15. Marcelo disse:

    È luxo mesmo o Carlinhos ou o luxo são das pessoas que lá estavam? …acho os dois…Confraternização atrai boas coisas…a reunião sem o luxo das casas – sim pq muitas vezes os jantares são puro exibicionismo do “eu sei receber”, “em minha casa a mesa é farta” – tudo bem…assim seja – mas eu acredito nesse luxo da simplicidade…Carlinhos sou fã absoluto ha muito tempo, ele é simples mesmo…é capaz de parar e conversar por horas com uma pessoa na rua a dar autógrafo…sou fã acredito que ele, Daniela e o Cortejo Afro sejam os únicos artistas que tem contribuido para a evolução qualitativa do carnaval soteropolitano….Sobre o Joshua tenho um pouco de pulga atás da orelha isso tá me cheirando a um video ou off de um documentário ou noticias de “quão” simples ele seja…xi julguei…detesto julgar! – tem um vídeo do Seo Jorge acho que a música é “Tive sorte” que é linda e o contexto é o mesmo…Europa, ele tocando violão na praça e pessoas dão moedas…tem um coro ôôôô meio vozes d’África puro Luxo…Sarita vc é Luxo no melhor sentido da palavra!!!!

    bjs e bom fds!

  16. Paloma disse:

    Estava passeando por aqui mais uma vez e adorei as campanhas digitais a que se filiou! Estou levando algumas para o Colar também. Gosto mais e mais do seu blog! Beijo meu!

  17. Mel disse:

    Sarah, vi há algum tempo atrás uma matéria, creio que numa revista (não lembro agora, Vida Simples, Simples, ou algo parecido) e lá estava o mesmo conteúdo. Também na tv um programa já abordou o tema. Luxo…
    Para muitos, luxo é ter a possibilidade de aproveitar algo raro, de valor simbólico e subjetivo.
    Acho que eu associo as duas coisas!
    🙂
    Beijos

  18. Sarah K disse:

    Gente,
    acho que vcs captaram bem o sentido de luxo discutido no post … é isso, o luxo do inesperado, da surpresa.

    Ricardo, eu acho que não foi bem assim não … rsssss.

    Paloma, pode colher o que quiser daqui, sempre bem vinda.

    Rachel, tb gostei do seu blog, vamos nos visitar sim! 🙂

    Marcelo, sabe, concordo contigo nessa estória do exibicionismo, rs.

    Mariposo, vou concordar contigo (e discrodar do Dono do Bar), o Brown é óóóótemo!!! Rsss

    Mel, se prestar atenção vai ver que citei a matéria da revista Vida Simples logo no começo. 😉

    😀

  19. Daniela disse:

    “A real sensação de felicidade…” – para mim o luxo é isso aqui.

    *tô de comput em casa. tomara ele não se apagar de novo e me deixar às escuras. então pronto. volto sempre, por esses tempos.

    bjo menina 🙂

  20. PD disse:

    Já namorei muito e fiz muita serenata no Morro do Buracão. Tenho ótimas lembranças de lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s