seurat_grande-jatte.jpg latas-seurat.jpg

Dos pontos para as latas. Da arte para a crise.
Uma releitura da “Tarde de domingo na Ilha de Grand Jatte” de Seurat feita pelo fotógrafo americano Chris Jordan, num ensaio-denúncia interessantíssimo (2007) sobre consumo/desperdício exarcebado da sociedade americana.
Acima, o original de Seurat seguido pela fotografia de Jordan que reproduz a mesma cena através de 160.000 latinhas agrupadas (clique na imagem de baixo para ver o detalhe), a mesma quantidade consumida/descartada em 30seg nos EUA.   Realy!!!

No ensaio, dezenas de fotos impactantes são relacionadas às estatísiticas de consumo/desperdício (nos EUA) de diversos itens, entre eles cigarros, celulares, sacos plásticos, folhas de papel, eletrônicos, correlacionando as imagens com a quantidade/tempo de consumo absurdos.

  • 60.000 sacolas plásticas que são descartadas a cada 5seg
  • 15 milhões de folhas de papel consumidas em 5min
  • 426.000 aparelhos celulares que deixam de ser usados a cada dia
  • 3,5 milhões de toneladas de aparelhos eletrônicos descartados por mês

Mais algumas fotos do ensaio – em sequência: celulares, motherboards, bitucas de cigarro (clique para ampliar):

jordan-cell.jpg   jordan-eletr.jpg   jordan-cigar.jpg

Para nós brasileiros que vivemos numa corrida desenfreada ao encontro do modelo americano, um alerta. Pensar duas vezes antes de consumir; antes de trocar o celular, som, tv semi-novos pelos últimos modelos (ninguém morre asfixiado por falta de tecnologia), recusar saquinhos plásticos para carregar pequenas compras (leve sua sacolinha na bolsa!), não jogue a bituca de cigarro no chão (comportamento nada sustentável), separe seu lixo em casa e entregue nos postos de coleta para reciclagem.

Por mês, cada brasileiro utiliza em média 70 sacolinhas plásticas, que serão provavelmente descartadas, daí entupindo a rede de esgoto, provocando inundações, poluindo rios, matando peixes, e levarão aproximadamente um século (cada uma) para degradarem-se. E não se engane achando que as recentes sacolinhas plásticas oxibiodegradáveis são a solução, na verdade a tecnologia que permite o plástico modificado degradar-se mais rapidamente que o plástico comum, em contrapartida contamina o meio ambiente de forma agressiva, principalmente os mananciais de água através dos seus componentes químicos (níquel, cobalto e manganês).

Já em reciclagem de latinhas de alumínio somos referência  mundial, 95% da produção é reciclada, participe deste sucesso praticando a coleta seletiva em sua casa.

Outra dica é adotar a doação, não descarte o que perdeu a utilidade, doe usados (eletrônicos, móveis, brinquedos, roupas, sapatos, livros, etc), sempre tem alguém precisando!
Por falar nisto, li outro dia na Vida Simples [março/2008] sobre uma iniciativa muito bacana, um projeto italiano, de alguns estudantes de Design, que coloca em disponibilidade o que poderia ir para o lixo. Consiste num container de lixo comum da região (Veneza) que é adaptado com prateleiras e portas de vidro, deixando os objetos descartados à mostra. A prefeitura local apoiou o projeto instalando o equipamento em alguns pontos da cidade. Os objetos mais diversos, como livros, sapatos, cds, roupas, eletrônicos, celulares, são doados e deixados em exposição podendo ser retirados por qualquer pessoa que passe. Os criadores explicam a iniciativa como uma reflexão individual sobre o desperdício.

Aproveite também e recicle idéias e comportamentos, o planeta agradece!   🙂

Anúncios
comentários
  1. Mel disse:

    Aii, como é difícil deixar velhos costumes… Mas é possível sim!
    🙂

  2. Carlos Emerson Jr. disse:

    Sarah K, minha querida amiga, me desculpe. Na verdade, o Idéias Despedaçadas é o primeiro da lista do meu Google Reader. Assim, sempre que vou visitar os amigos, começo por aqui…. e acabei me esquecendo de fazer o devido link no blog!
    Mas já está resolvido!!!
    Um grande beijo e ótimo feriado.

  3. Lidiane disse:

    Sara, ontem mesmo estava me perguntando o que tenho feito pra deixar o mundo um pouco melhor.
    Pouca coisa, pouca ainda.
    EStou começando a levantar a possibilidade de agir com alguma coisa que melhore as pessoas e a mim (sobretudo).
    Não sei o que ainda, mas o projeto vai sair.

    Beijos.

  4. Rob disse:

    Eu vivo sendo olhado de forma esquisita nas lojas quando digo que não quero saco plástico e coloco a mercadoria na mochila. Até em livraria, quando digo que não quero saco plástico, vem a pergunta “tem certeza?” e uma cara de ofensa que às vezes me faz ver se não é meu ziper que está aberto. às vezes sei que não é isso porque a cara é de reprovação e não de espanto… 😉

    Mas não é fácil. Aqui em casa vivo levando esporro da empregada por manter uns equipamentos obsoletos (monitor de vídeo CRT, por exemplo) que não consigo doar. Achei um grupo que em teoria recebe materiais eletrônicos mas não consegui decifrar a língua deles. Exemplo: mandei mail perguntando qual o endereço e eles me responderam simplesmente Ok. Se você teclar Ok no Google Maps ele mostra o estado de Oaklahoma nos EUA, meio fora de mão para mim.

  5. elisabetecunha disse:

    SARA

    otima pascoa!!!!
    linda

  6. Sall disse:

    Apoiada!!! É muito difícil, mas ainda tenho a esperança de convencer pessoas sobre a importância disso tudo. Um texto como o seu, num blog tão legal, já deve fazer diferença. Se entre todos os leitores, pelo menos um mudar de hábito, já valeu a pena. Bj, moça!!!

  7. mendes disse:

    Sarita, bjs prá vc e prá filhota (e ela continua poetando?).
    Gostei da idéia do carinha em Veneza, medidas as devidas proporções faço isso por aqui: livros, sapatos, roupas (costumo deixar em local público, numa sacola plástica (vou me corrigir!). Revistas costumo repassar para pessoas que têm interesse na leitura mas sem condições financeiras. Agora o excesso no mundo é o preço para o progresso. Boa páscoa. A Capelinha além de picolés, fabrica ovos de chocolate?

  8. mariposo-L disse:

    Saraaaaa, estou fazendo minha parte faz tempo, mas ainda acho que “sacolitas” é pouco muito pouco mesmo, precisamos de menos blá blá e ações mais diretas e urgentes, o calor está ai insuportável, ainda acho que a real situação de tudo não é divulgada para se evitar panico …..

    Mas a vida é bela e ainda estamos vivos, então vai uma Kaizer Geladissima ai ????

    Bahiaaaaaaaa me aguarde …..

    beijos

  9. Sarah K disse:

    Rob, eu tb, qdo peço para a moça do caixa prá reduzir a qtde de sacos ou não usar, elas me olham meio bravas. Rs, seus comentários sempre me fazem rir muito … rsss 😀

    Sall e Mariposo, é importante no nosso dia-a-dia ir convencendo as pessoas, ajudar a mudar o comportamento. É impressionante com a grande maioria das pessoas não está nem aí prá o assunto, e não tem relação com nível sócio-cultural não … é uma “burrice” geral. Triste isso!!

    Mendes não acho que seja “progresso” a forma como estamos crescendo… tenho minhas críticas …. ainda mais que a grande nação, que é tomada como exemplo de desenvolvimento e riqueza, manda o lixo prá casa dos outros.
    Sabe, rs 🙂 fiquei querendo um picolé de côco agora, eu não gosto de chocolate … rs

    🙂

  10. marcelo disse:

    Sarah vou fugir………..fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! – a nossa cidade se preocupa chongas com a preservação ambiental…vide alphaville e “nova” orla…no mais coleta seletiva por aqui só aquele horror dos latões em frente ao T.C.A prá turista ver que “nóis recicra” o lixo…não é da nossa cultura cidade limpa…só vai parar qdo o mar invadir a cidade ou a denque do mosquito bom morder todo mundo e o carnaval ficar vazio porque tá todo mundo dengoso ( acho que isso dá um post por lá)…Sarita publiquei o Prêmio Escritores da Liberdade + não consegui colar o selo…pus uma foto chogante e agressiva…do meu icone de liberdade Oliviero Toscani publicitário da Benetton italiana!

    Bjokªªªªªªªªªªªªªªªs e Good Pázscoa!

  11. Dani(ela) disse:

    outro dia no shopping precisando de um monte de coisas: só aceitei a primeira sacola plástica que me ofereceram. todo o resto que ia comprando, enfiava na primeira sacola. estranharam, mas quando explicava que o planeta ia agradecer, entendiam e sorriam.

    quem souber o que fazer para empacotar o lixo caseiro sem ser no saquinho plástico, me avisa. pra isso ainda não achei solução… :-/

    bjim Sarah 🙂

  12. vanda disse:

    Olá Sarah
    Realmente é urgente e necessário pensar no lixo que produzimos
    Eu faço a minha parte, mas sei que ainda há muito a fazer pela educação ambiental!
    Beijo e boa semana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s