FELICIDADE, o que é isto?

Publicado: 21/04/2008 em comportamento, cotidiano, crônica, reflexões
Tags:, , , ,

Era domingo, o carro parou para ser abastecido, ele sorriu largo ao pedir as chaves e começou a abastecer enquanto eu procurava o cartão para pagamento. Cartão passado, comprovante assinado, carro abastecido, recebo as chaves de suas mãos e o mesmo sorriso franco e feliz, daqueles verdadeiramente espontâneo. E assim, com o semblante de alguém satisfeito, de quem faz o que gosta e tem prazer, ele se despede com um desejo vibrante de bom dia.

Saindo me perguntei: “porque ele está tão feliz, se tivesse que trabalhar num feriadão eu estaria chateada, e se fosse um trabalho assim, ainda pior, tão mecânico e sem criatividade?” E me fui admirando o frentista e sua capacidade de ser feliz com tão pouco. Grifando aqui, que o ‘tão pouco’ é minha observação e pensando que julgamos demais, quando na verdade deveríamos praticar a aceitação que o mundo é plural e que nossa perplexidade diante da estranha (para nós) felicidade do outro, talvez traga implícita o quanto dificultamos a felicidade para nós mesmos.

Escrevendo isto, agora, numa tarde de domingo, sobre a cama, cercada de livros, cadernos e canetas, acompanhada desta descrença que quero expulsar, à espera de uma noite que traz latente uma promessa vaga de felicidade e torcendo para que eu me encontre aberta a ela; enquanto isso leio Clarice: “Não temos sido puros e ingênuos, para não rirmos de nós mesmos e para que no fim do dia, possamos dizer ‘pelo menos não fui tolo’ e assim ficarmos perplexos antes de apagar a luz”.

E antes que este texto chegue ao fim e eu me cale, quero dizer que sim, eu desejo ser tola, desejo perceber os meandros onde a felicidade muitas vezes se esconde, auxiliada por nossos olhos que teimam em não vislumbrá-la, ou na verdade simplesmente por pura covardia.
E deixo aqui um desejo: que a gente (eu sobretudo) se liberte desta tola arrogância.

(imagem: arteemfoto)

Anúncios
comentários
  1. Edson Marques disse:

    Belíssimoo teu texto!

    Parece mesmo que a arrogânica nos impede de ser livres!

    A felicidade requer autenticidade, leveza, liberdade.

    Mais abraços, flores e estrelas..

  2. Sonia Regly disse:

    Lindo seu texto, vc escreve com a alma.A arrogãncia aniquila a felicidade, acaba com as coisas boas da vida.Visite o Compartilhando as letras.

  3. Sonia Regly disse:

    Nós temos muitos questionamentos.às vezes o outro é feliz com tão pouco e nós com muito não conseguimos sePor quê??? É complicado isso!!!

  4. gostei de tudo que vi por aqui!

    abraço.

  5. Mel disse:

    Sarah, tem coisas que entendo, que aceito, mas que geralmente não consigo por em prática… Por total incapacidade de mudar pequenos gestos e atitudes, mas sabendo da necessidade de mudá-los e sabendo que é algo possível sim.
    Por mais que eu saiba e experiencie a felicidade em pequenas coisas (e essas são as melhores), ainda aguardo pelo momento de explosão de felicidade.
    Grande ilusão!
    Então, minha amiga, vamos nos permitir!
    A felicidade está nisso, em nos permitirmos!

    Beijos.
    Ah, já disse o quanto admiro a tua forma de pensar? Na verdade, eu te admiro!

    Beijos

  6. rayol83 disse:

    meio triste isso tudo querida.

  7. marcelo disse:

    Oh, girl…conversei pacas com a minha supervisora ontem sobre a felicidade…ela é psicologa e nos estamos pesquisando sobre o assunto…o texto é lindo…acredito em felicidade presente…ela não esta no passado o se esteve perdemos – na e no futuro ela pode não esperar lá chegar…ops isto vai virar um post por lá é vc é totalmente culpada!

    bjs

  8. Camila disse:

    eu quero ser tola também!

  9. Camila disse:

    ah, e parabéns atrasado pelo aniversário do idéias! que venham muitos anos e muitas palavras. 🙂 beijos.

  10. Dani(ela) disse:

    aaaaa minha querida… sou tola do ponta do cabelo ao dedão do pé. e com orgulho! rsss

    *minina, tava sumida não. vim, jurava que tinha comentado e me fui sem fazê-lo!

    🙂

  11. “Não temos sido puros e ingênuos, para não rirmos de nós mesmos e para que no fim do dia, possamos dizer ‘pelo menos não fui tolo’ e assim ficarmos perplexos antes de apagar a luz”.

    Vixe, que lindo o texto que você teceu do texto, viu? Inspirador.
    Beijo grande… e algumas ingenuidadezinhas borboleteantes.

  12. mariposo-L disse:

    Sara, agora que você achou o caminho da felicidade, você pode ser uma frentista …. trabalhando no feriadão

    Ai galera quem não está feliz pega essa dica e vai ser frentista … mas me avisa que eu ainda passo no posto para saber se está tudo as mil maravilhas :)))) kkkkkk

    Quero um ar condicionado igual ao da moçoila da foto

  13. Sarah K disse:

    Pois é Mel,
    é o que ando fazendo.. de olho para me permitir cada dia mais.

    Ricardo…
    ah, não achei triste não, apenas reflexivo
    😉

    Camila, brigada! 🙂

    Dani, ainda bem!

    oi Srta, que bom que apareceu… quero te ler tb!

    Mariposo,
    kkkkk, adoro suas ironias, vc me diverte… Mas brigadinha, ainda não consigo sentir-me feliz desta forma… infelizmente vc não vai poder abastecer comigo num feriadão, hehehehe 😛

  14. Mariposo-L disse:

    Sara…. tok … tok … ainda bem que você na briga comigo pela forma que vejo o mundo …kkkkk

    Mas finalmente tenho um selinho para ter dar :))) ainda virtual é claro … que sabe um dia te dou um selinho real 🙂

  15. Anabela disse:

    Se nãõ é isto aqui, pouco mais poderá ser.

    Parabéns pelo post.
    EStá magnífico.

    Beijinhos doces

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s