Caminhos desencontrados

Publicado: 28/05/2008 em reflexões, romance
Tags:,

ou Impossibilidades contra as quais o Amor se choca

 

O amor vai logo ali adiante, querendo saltar do peito, projetado num rosto na multidão; um discreto vislumbre farto de promessas e cercado de impossibilidades.

Como percebê-lo?
Não bastaria a coincidência de estar no mesmo lugar ao mesmo tempo, talvez o átimo exato tenha sido ou ainda será. Instala-se uma espécie de frustração, algo cortante, o choque contra o fatídico, a crueldade do tempo que inexoravelmente continua sua saga ignorando esforços contrários.
Como alcançar, descobrir indícios d’um caminho revelado em instantâneos, quase invisíveis e roubado implacavelmente pelo corroer incessante das horas?
Mais voltas em torno do sol e de si mesmo, e mais do impossível se mostra, olhares que tentam cruzar-se. Vã tentativa de tatear às cegas na multidão à procura de um mínimo reflexo, uma resposta, uma promessa.

Perde-se um tempo absurdo seguindo pistas que talvez passem ao largo, disfarçadas, sem que nem suspeitemos a verdadeira direção. Caminhos paralelos, desconectados… Bastaria uma leve distração, um olhar perdido noutro sentido, atos sem premeditação, coincidências ou não; uma (pré)disposição ao inesperado, ao que não se vislumbra e que quase roça nossa percepção cansada e cega.

Anúncios
comentários
  1. Srta. Rosa disse:

    Ai que coisa mais linda de se ler…

  2. Lucas disse:

    ’A Mulher e o Atirador de Facas’ ? é esse o nome do filme? No minímo sugestivo. Mas vou assistir não. Esse nome deu medo.

    ¬¬

  3. sarah k disse:

    Lucas, rs
    O texto não tem a ver com o filme, não assisti, mas achei a imagem na net e coloquei aqui junto com meu texto.

    😉

  4. mendes disse:

    Bem que eu tô querendo um amor assim e com as facas desembainhadas – amor loco e total – sem subterfúgios. Gostei até do título – vou procurar e ver. Torço para que seja inspirador

  5. blogdosall disse:

    Muita boa sua abordagem, o eterno questionamento, não é mesmo? Tem um frase, numa canção do grupo Teatro Mágico, que pode aplacar um pouco dessa nossa angústia. Diz ela: “os opostos se distraem e os dispostos se atraem”. Às vezes a gente só precisa de um pouco de disposição. Será? Bjs, moça!

  6. Ricardo Rayol disse:

    estou andando em círculos circulares, talvez indo a lugar nenhum, talvez sumindo no horizonte.

  7. sergio guida disse:

    Por vêzes o amor passa ao lado e não o percebemos, pq não escutamos mais nossos corações “cimentados” na realidade material.

  8. Dani(ela) disse:

    “corra lola, corra”, não fala de romance, mas através dele a gente percebe bem esses ‘acasos’…

    sei lá, vai que dobro a esquina…
    vai que percebo algo…
    vai que entendo uma mensagem simples…

    🙂

  9. livia disse:

    Sarah,
    Textos ótimos pela crítica e provocação. O primeiro fala sobre o amor e sua imprsibilidade(?).Ele é casual(?);como se revela? Bem,os expert dizem que o Amor é uma acontecimento cultural.Veja:certas culturas organizam o amor.filhos são prometidos desde o nascimento! O amor ,se tanto, irá acontecer depois…ou nunca.Apenas aceita-se o fato culturalmente imposto. Nas sociedade mais livres,tudo é possível,assim como as formas de amar. Mas o sentimento de bem querer o outro(a) sabe vencer barreiras ideológicas ,religiosas,sexológicas(rs..)e culturais! Gostar/amar é surpresa e mistério(quando deixamos os sentimentos fluírem).No segundo texto:nossa grande tarefa e/ou trabalho é educar a nós mesmos.Nao basta o ornato,a aparência da boa figura,é preciso a consciência da Boa Educação como forma de nos mantermos civilizados no comportamento seja ele qual for.Mas…aprendemos(numa inversão perversa de valor)qyu o falso brilhante tem o mesmo valor do verdaeiro!Entao fingi-se ser…Nada mais irritante que madame deixando cachorrinho defecar nas calçadas!Motorista colocar carros na calçada;pedestre atravessar fora da faixa;jogar papel no chão com a lixeira perto;e tantos outros atos deseducados.Pequenos atos educado revela o que somos?sim.Nos recusando a ser mal educado,isto nos leva a não sermos adeptos do jeitinho,do suborno,do egoísmo.O brasileiro é um povo mal educado,gosta de ser esperto(confunde isso com sabedoria!).Reinventar o brasileiro?basta melhorar a educação com exemplos .Certa vez na Suíça,ouvi um brasieliro(turista)levar bronca de uma senhora que correu atrás dele de guarda chuva porque ele havia jogado papel de bala no chão. E disse que ele respeitasse a sua CASA,pois ele era um hóspede ali. O brasileiro deveria aprender a cuidar de suas coisas e valorizar o que é de todos. O bem público é um bem e patrimônio comum.Mas brasileiro não sabe o que é isso!).Um povo se educa,não é? Beijão querida.

  10. sarah k disse:

    oi Lívia,
    excelente teu comentário, vou colocar a parte correspondente lá no outro post prá que as pessoas leiam.
    É isso mesmo que vc disse… vejo isto mesmo por aí … o brasileiro é um cidadão mal educado que não cuida nada bem de sua casa.

    bj
    e volte sempre!!
    🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s