Mórbido

Publicado: 28/05/2009 em conto
Tags:, , ,

 

Marcou para encontrarem-se no cemitério, lugar melhor não haveria.

Paulo chegou diante do endereço e duvidou. Seria este mesmo o local do encontro? Olhou novamente para o papel em suas mãos e conferiu, rua, número… Sim, estava certo. Teve certo medo de entrar, já era fim de tarde, logo escureceria, mas foi em frente ainda vacilante. “Ao chegar dirija-se à estátua do anjo em mármore branco“, ele lia o papel e olhava em volta andando apressado.

O anjo de mármore olhava para o alto e suas mãos pareciam suplicar. Ela gostava daquela visão, sentia uma atração mórbida por cemitérios, adorava ver o sol morrer entre as capelas esculpidas rodeadas pelo silêncio absoluto. Sim, o lugar era perfeito para por fim àquele relacionamento com Paulo, tudo havia morrido, o amor, o desejo, a paixão… tudo. Imaginar os mortos lhe rondando lhe daria arrepios, ele era um covarde, ia morrer de medo quando tudo escurecesse e apenas sua lanterna iluminasse a imensa escuridão que se instalaria entre eles, além da dos sentidos que já tomara conta de tudo.

Depois de ouvir que tudo morrera e que não o queria mais, Paulo entrou numa profunda depressão, encostou-se ao túmulo e chorou, enquanto ela tomava um vinho tinto barato aos goles pelo gargalo e olhava a lua que nascia completamente amarela por trás do perfil recortado das cruzes. Pensava no quanto sentia-se leve, livre, tranquila; subiu no túmulo e abraçou-se ao anjo fazendo caras e bocas, rindo por dentro… Aquele silêncio sepulcral combinava com seus sentidos naquele momento, apenas os soluços de Paulo e seus repetidos “porquês?” interrompiam em alguns instantes a saborosa sensação de alívio que desfrutava. Cansada de ouvir seus lamentos – ele mais parecia uma carpideira – tapou os ouvidos e saiu perambulando pelas aléias. Paulo absorto em sua infelicidade nada ouvia, apenas sentiu o toque frio  sobre seu braço e assustado olhou ao redor. Uma moça linda, muito branca, de longa cabeleira negra olhava-lhe com compaixão querendo saber o que lhe acontecia. Conversaram um pouco ali junto ao anjo e ela confortava carinhosamente suas dores. Paulo a chamou para saírem dali, ela o olhou surpresa, mas ele não deu-lhe tempo de recusar e a levou pela mão… Ela era tão linda, meiga, delicada, suas feições tinham um quê de melancolia e seu jeito compassivo o encantava.

Levou-a a um bar, pediu algo para beber, mas a garota nada quis, enquanto isso um monólogo era iniciado. Paulo falava, falava, falava e ela o olhava com seus olhos tristes carregados de compaixão – tudo que precisava agora. O garçon o olhava de modo estranho e perguntou se tudo estava bem, ele assentiu, o garçon não parecia convencido e falou que ele deveria ir para casa. Paulo não entendia, olhou para a linda cabeleira negra que terminava sobre os braços muito, muito brancos. A moça acariciou suas mãos, “ela deve estar com frio“, ele pensou ao sentir seu toque. Tentou aquecê-la, tocando-a também, mirando-lhe as formas alvas, deslizando as mãos pelos seus braços magros… Foi quando percebeu os pulsos cortados e o sangue seco que manchava sua pele.

 

Anúncios
comentários
  1. mendes disse:

    Sarita, até que enfim. Parecia férias de “marajá” – daquelass looonngas. Não queria voltar + não, é?

    Chupou muito picolé da capelinha?

    Seja bem vinda, bjs, Mendes

  2. mendes disse:

    Sarita, quanto ao texto: é meio mórbido mesmo, eu diria até estranho principalmente para quem está voltando de -acredito- maravilhosas férias. rs rs . Na verdade, eu já conhecia e tb desconheço o autor.

  3. Sarah K disse:

    Ah Mendes … relaxe, rs.
    Gosto de surpreender … ou chocar, digamos assim. Mas fala sério … achei meu conto tão maneiro, rs.
    Ah, o texto é meu viu, a foto é que tem autoria desconhecida.

    Em tempo, as férias foram ÓTIMAS … mesmo!!!

    🙂

  4. Edson Marques disse:

    Sah,

    Que bom (ou não, pra você?!) que as férias acabaram (bem)!

    Belíssimo, o teu conto.

    Mas ne, toda paixão por cemitério é mórbida. Pode ser poética!

    Já tomei muito vinho em cemitério, já fiz muitas reuniões, já fotografei anjos e cruzes e placas…

    /// Abraços, flores, estrelas e saltos profundos..

  5. Acho o lugar mais inadequado para terminar uma relação!
    Mas o conto é demais! Essa mulher foi, como dizer… cruel! Acabou com até com a sanidade do coitado do Paulo que, terminou alucinado.
    Ou não ?
    Um beijo.

  6. mariposo-L disse:

    Sara, saudades de você :)))
    Agora venhamos cá … fiquei arrepiado aqui, tenho pavor de cemitério, acho todos eles horríveis, fiquei arrepiado aqui … Mas adorei o texto

    Beijos

  7. Mel disse:

    Que bom que voltaste, Sarah. E pelo visto, muito inspirada! Mas só posso concordar o próprio título… Mórbido!
    🙂
    Beijos!

  8. Ricardo Rayol disse:

    santa madre de deus barbaridade, absurdamente maravilhoso e arrepiante esse texto. mas a foto não tem nada a ver rs.

  9. mendes disse:

    Sarita, é seu mesmo? Então, ou voce jah tinha publicado em outras plagas ou eu já havia lido alguma coisa semelhante. Ou então, eu sou paranormal, e não sabia… vou tentar vizualizar os nrs da lotofácil. Bjs, Mendes

  10. Lidiane disse:

    Me lembrei do filme “A noiva cadáver”, do Tim Burton.
    Já viu?

    Me deu arrepio.

    Beijo, Sarinha.

  11. Marcelo disse:

    Que tesão! adorei…escrevi um texto que tem anjo tambem…eu acho!

    bjs fui pro show do ILê tô secando de sede…minha agua evaporou no sol…foi prá a feijoada? – cara né? R$300,00 eu hein rosa…digo eu hein feijão!!!

    bjs

  12. mario disse:

    Desconheço o autor mas parabenizo de qualquer maneira.o texto é de fato muito interessante e prende o leitor ate o fim.Não se pode negar que não ha lugar mais apropriado para se por fim a um relacionamento que um cêmitério,um lugar fascinante para aqueles que sabem apreciar oque há de mais lindo em se falando de artes.

  13. Sarah K disse:

    Mário,
    sou eu a autora … Muito prazer!

    Volte sempre que quiser, tem um monte de textos na categoria crônicas e contos …
    Veja na barra lateral ” Escolha o que vai ler”.

    😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s