Posts com Tag ‘tempo’

É, o tempo passa…

…E a gente descobre que é impossível evitar:
* usar óculos prá perto
* esquecer de coisas óbvias
* aquela sensação de “déjà vu”
* a debandada dos hormônios

* a invasão dos fios brancos
* a lei da gravidade

…E passa melhor se a gente não perder:
* a impetuosidade
* a fome de aprender
* tempo com coisas irrelevantes
* a vontade de chorar por tudo ou de rir por nada
* o desejo à flor da pele
* a coragem de confessar inconfessáveis “segredos”
* o tesão pela vida

Estar mais velho, inevitável.
Perder a juventude, uma escolha.

Dali …da janela

Publicado: 25/02/2008 em poesia
Tags:, ,

inthewindow-kepeslap_1876-snjezanajosipovic.jpg

arrasta-se o tempo
lento
opaco
cinzento
vazio de promessas

nuvens carregadas
passeiam devagar
reflexo dos seus olhos
presa no espelho da janela
corre a vida veloz
que tudo atropela

qual medida de tempo
preencherá esta lacuna
de incessantes recomeços
que alvorecem pálidos
feito manhãs de inverno?

que ao menos
gosto de fruta tenha
esta espera
madura
que no reflexo do vidro
por fugazes instantes  
perdura

(FOTO: Snjezana Josipovic)

(risos)   Ouça Fruta Vermelha’ (Apolo Nove)  enquanto lê … ou leia ‘…da Janela’ comendo a ‘Fruta‘ … você escolhe, mas não deixe de saborear o gosto das letras com o som da ‘Fruta‘ …

Mais e mais tempo

Publicado: 30/11/2007 em cotidiano, me myself and I, memes
Tags:, ,

vidadificil.jpg

Já pensou se você ganhasse mais 2 horas no seu dia? O que ia fazer?
Essa é a proposta do “meme” que está rolando pela blogosfera tupiniquim, do qual vou participar a convite do Gustavo Gitti do
Não2 Não1.
A pergunta é: “O que você faria se tivesse 5 minutos a mais em cada hora do seu dia?” Como sonhar ainda é de graça, vamos caprichar na resposta!

Não vou negar que pensei logo em dormir (risos), pelo menos mais meia hora por dia. Então me sobraria uma hora e meia por dia que eu tiraria para fazer coisas simples, mas que fazem a diferença para tornar os dias mais agradáveis. Alguns dias, gostaria que esta hora e meia fosse logo após o expediente da tarde e eu pudesse sair às 17hs para ir apreciar o por-do-sol lá no Porto da Barra, vendo-o derretendo-se sobre a Ilha de Itaparica, enquanto transformava a superfície da baía num imenso manto de estrelas faiscantes, e eu ali diante daquele espetáculo degustando uma água de côco, sentada sobre a areia.

Noutros dias ia querer ter mais tempo para o almoço, que seria num restaurante charmoso, numa encosta à beira mar, sem pressa, sem ter de olhar o relógio conferindo a hora do retorno ao trabalho. Um dia na semana (seria a segunda-feira) deixaria o tempo excedente para enfrentar um enorme engarrafamento habitual no fim do dia, dirigindo calmamente, sem me estressar com o mar de carros que se arrastaria lentamente à minha frente, nem com as burrices da SET. Iria ouvindo Marisa Monte, Lenine, Zeca Baleiro, Nando Reis e Rita Lee prá relaxar.

Nos finais de semana aproveitaria para assistir uns DVD’s extras, ler e escrever mais, tomar mais cervejas geladinhas e, claro, paquerar mais [ 🙂 ]. Em resumo, minhas horas extras seriam dedicadas ao mais absoluto relaxamento e prazer.

Como manda a tradição, agora, devo escolher os felizardos que poderão sonhar com esta dádiva do tempo, artigo de puro luxo nesses tempos de correria.

E agora deixa eu correr que já estou atrasada!!

🙂

A teia do Tempo

Publicado: 19/06/2007 em reflexões
Tags:, ,

“Por seres tão inventivo, e pareceres contínuo

Tempo tempo tempo tempo

És um dos deuses mais lindos

Tempo tempo tempo tempo”  (Caetano Veloso)

siegfried-zademack_boat.jpg

Conta o mito que Cronos, deus do Tempo, matou seu pai, Urano, e jogou sua genitália ao mar, de onde nasceu Vênus, depois disto reinou entre os deuses por muito tempo, mas temendo uma profecia que afirmava que seria destronado por um filho seu, assim que nasciam, ele os devorava impiedosamente. Réa, sua esposa, ao nascer o filho Zeus, o escondeu de Cronos, e assim numa guerra que durou mais de 100 anos, Cronos, mesmo auxiliado pelos Titãs, foi destronado pelo seu filho Zeus que passou a reinar, desde então, sobre todos os deuses do Olimpo.

Já repararam como o Tempo pode ter os conceitos mais antagônicos? Sou fascinada pelos significados do Tempo, como pode simultaneamente ser abundante e escasso, definitivo e efêmero, breve e interminável, adverso e afortunado, benevolente e implacável, curandeiro e destruidor. Como Penélope que tecia de dia e desfazia à noite e com este gesto tentava recriar o tempo, de uma forma diversa, assim também o tempo vai desfiando o mesmo tecido que tece no correr das horas, consumindo-as e  devorando-as inexoravelmnte enquanto as cria, consumindo lembranças que no seu leito incessante foram docemente concebidas. Esse é seu ritmo, sua forma, sua essência – criador e ceifeiro. Cronos não espera por ninguém, seu ritmo incessante determina tudo.

Certo que é melhor tê-lo como agente cooperador e nunca como um algoz, embora quase nunca seja muito fácil obter sua completa cooperação. Caetano bem que tenta, através dos versos do poema citado logo no início, um acordo com ele, veja aqui o poema completo. Mesmo tendo essa imagem amedontradora, concordo com ele, o Tempo é um dos deuses mais lindos! 

Como o deus que engolia seus filhos, o Tempo vai devorando os instantes que acabou de criar – Senhor que é dos séculos e dos segundos, do brilho e das trevas, da saudade e do esquecimento, do viver e do fenecer. Assim ele desceu do Olimpo e veio reinar sobre os mortais lançando sobre todos sua interminável e misteriosa teia que governa vida e morte.

(imagem: Siegfried Zademack)