Posts com Tag ‘Lula’

Pelo visto não sou só eu que enxerga bem por aqui.
Saiu ontem no Conversa Afiada,  e dá prá enxergar bem viu gente,  basta um leve esforço
(risos):

conversa-afiada

conversa-afiada2

O “cosmopolitismo” é uma das últimas barreiras do racismo brasileiro contra o presidente Lula.
Faz parte da ideologia da elite branca (e separatista, no caso da elite de São Paulo), o dogma de que o “cosmopolitismo”, o “saber apresentar-se aos estrangeiros”, “freqüentar a Metrópole”, isso é monopólio da elite. Só os tucanos sabem francês.
O Farol de Alexandria materializou o preconceito racial de forma exemplar. Ele se dizia ter “um pé na cozinha”, mas, na verdade, tinha um pé na cozinha do Pedro Moreira Salles.

O Itamaraty era território reservado à elite branca.

Fazer sucesso no exterior, só eles.

Fernando Henrique reproduzia nos salões europeus o que se ouvia por onde Pedro II passava: o país não presta, mas o Imperador é ótimo (*).

Quando Obama disse que Lula é “o cara”, “this is my man !”, o PiG (**) menosprezou, porque Obama é negro e, provavelmente, não é americano, como suspeita a extrema-direita americana.

O PiG (**) odeia o Obama.

O que acontece agora, porém, é demais.

Não basta o sucesso dentro do Brasil.

A vingança da marolinha, a redução da pobreza – clique aqui para ler como a urubóloga Miriam Leitão quase  desfalece .

Ainda por cima, o sucesso na “metrópole”.

Veja bem, amigo navegante: o mundo passará a debater as questões econômicas numa assembléia de que o Brasil faz parte, o G-20.

O PiG (**) escondeu a notícia ( o Conversa Afiada, não).

E além de esconder, como o Estadão de hoje, na pág. B13, faz questão de ressaltar que o G-20 não vai dar em nada …

Sem falar no Clovis Rossi, da Folha (***), o “cosmopolita” do sótão – o “cosmopolita” do porão é a Eliane Catanhêde.

Que estava em Pittsburgh e não percebeu a passagem do bastão do G-8 para o G-20…

Agora, o Zelaya

A ONU, a OEA, a Europa, todo  mundo apóia Zelaya e a atitude do Brasil é exemplar – e central.

É o resultado do peso que a diplomacia do Governo Lula passou a desempenhar.

Os ressentidos, aqueles que construíram a “diplomacia da dependência”, que falava francês no foyer e lá dentro, na coxia, pedia dinheiro emprestado ao FMI, essa diplomacia  dos Lampreia, dos Barbosa, dos Azambuja agora vai para os jornais desacatar o Brasil.

É o racismo.

Eles são a vitrine do racismo.

São a Rue du Faubourg Saint-Honoré do racismo de Higienópolis.

Racismo que se manifesta de formas variadas.

Mas, é um só: o racismo contra o nordestino e contra o pobre.

Contra o operário metalúrgico que vai despejar o Fernando Henrique Cardoso na mesma gaveta em que a História depositou o Presidente Eurico Gaspar Dutra. Outro entreguista que a elite adorava.

(Paulo Henrique Amorim)


Assino embaixo Paulo Henrique Amorim!
SENSACIONAL!!!
Sem mais comentários… tudo mais seria redundância.

Anúncios

charge_lula_porta_crise

“A crise no Brasil provocará apenas uma “marolinha”.
Lembram desta tirada de Lula? A grande maioria das pessoas discordou. Foi motivo de piada como sempre, que tal afirmação era mais uma da lista dos absurdos ditos por ele.

Pois é, menos de um ano depois, estamos à beira mar curtindo as ondas leves da dita crise que não arrebentou por aqui. Isto é o que diz o Le Monde hoje, num artigo analisando o panorama econômico dos países do BRIC, afirmando que o nosso presidente teve uma “visão bastante correta” sobre o que seria a crise e elogiando medidas adotadas pelo Brasil para combatê-la.

Na época, confesso que fui um tanto cética, mas não discordei do Lula, esperei prá ver. Vivenciando a propagada crise, a cada dia ia percebendo uma ausência da mesma. Consumismo mantido: shoppings movimentados, restaurantes da moda lotados, fila nas concessionárias à espera do carro zero, lançamento de imóveis com stands concorridos… Enfim, eu me perguntava, cadê a crise??

E é isso que o Le Monde explica hoje: a recessão durou apenas um semestre e o PIB, ao final deste, teve um aumento de 1.9%. O mérito disto tudo se deve à estratégia adodata pelo governo, através de políticas que apoiaram e alavancaram o mercado interno.

Conclusão: Lula estava certo.
Muita gente não gosta de concluir isso, afinal criticá-lo é o padrão de comportamento esperado de todo cidadão brasileiro ético e correto.
Simpatizo com o cidadão Lula, sua trajetória de vida, sua visão social, mas também tenho minhas críticas; muita corrupção vindo de um partido do qual se esperava justamente o oposto. Isto é fato, entretanto seus erros, ao meu ver, não retiram seus méritos.
Refletindo sobre isto surge a questão, será que podemos dissociar o homem do partido? Complexo, afinal ele é o comandante; entretanto sabemos que política é terreno lamaçento, jogos de poder  estão sempre nos bastidores e no meio do caminho atropelos causados por interesses alheios, alianças discutíveis  chocam-se com ideologias e objetivos originais – a usual podridão da política parece não poupar ninguém (verdade indigesta).

Não sou petista, muito menos nego os problemas do atual governo, mas se tem uma coisa que me chama a atenção é a predisposição popular em denegrir sua imagem (e a do Lula na carona). Um exemplo: já perdi a conta da infinidade de e-mails que recebo com informações falsificadas (como a ficha policial de Dilma Roussef, o contra-cheque da aposentadoria do Lula, etc) e/ou com críticas nem sempre verdadeiras. Fica a pergunta, como pessoas que criticam ferozmente a corrupção, paralelamente praticam o mesmo? Mas isto é mais polêmica que renderia outro post.

Enfim… voltando ao tema, o Tsunami foi realmente uma “marolinha”, hein minha gente (riso irônico)? Hoje não vai dar para criticar.
Vejam notícia original no Le Monde ou se preferir no site do BBC Brasil.

Agora que leu tudo, aproveite e divulgue. Saia da mesmice da  crítica, afinal como dizia o saudoso Nélson Rodrigues, toda unanimidade é burra.

.

godon-lula

Hoje eu estou com a macaca … deixa eu falar, senão engasgo.

A novela do “branco de olhos azuis” continua a todo vapor, agora com gente indignada prometendo processar Lula por racismo ou coisa que o valha (acho que na Veja estão falando disto).
Ok, concordo que a metáfora escolhida para simbolizar o poder econômico dominante (redundância proposital) foi tremendamente infeliz, mas venhamos e convenhamos que estão colocando lenha em excesso na fogueira. Na verdade querem é ver o Lula frito (e ele até colabora). Os insatisfeitos de plantão, na verdade, não perdoam a sua suposta baixa capacidade intelectual e se aproveitam de cada frase mal empregada para tentar desqualificá-lo.

Como sempre, brasileiro tem memória bem curtinha e parece ter esquecido as frases nada recomendáveis de FHC, o  nosso memorável presidente, cheio de títulos e diplomas, Doutor Honoris Causa,  PhD  em “seiláoquê” e blá blá blá. Vamos relembrar algumas? Só não me recordo se ele foi processado por algum compatriota (tenho memória curta também). Talvez não, até porque professores, aposentados e pobres não tem tanto dinheiro sobrando.

– “São uns ignorantes.”
22 de abril de 1998, irritado com os críticos de sua aula inaugural na faculdade do Hospital Sarah Kubitschek.

– os aposentados são uns “vagabundos”
20 de maio de 1998, sobre os brasileiros que se aposentam com menos de 50 anos.
detalhe: FHC aposentou-se com 39 anos

– os brasileiros são “caipiras ” e os trabalhadores brasileiros, “preguiçosos”

– “Se a pessoa não consegue produzir, coitada, vai ser professor.”
5 de dezembro de 2001, sobre a angústia dos pesquisadores bolsistas

– “Eu tenho um pé na cozinha” depois de terminado o mandato, cinicamente acrescentou: “na cozinha francesa”.

– Em entrevista em 05/04/2006 no Programa do Jô,  FHC afirmou que o “pobre” quando chega “lá em cima” corre o risco de virar “outra coisa”, ou seja, deslumbrar-se com a mudança social conseguida pela chegada ao poder.

– Em palestra em Washington (março/2005) FHC agradeceu a presença do ex-secretário de estado americano Henry Kissinger e chamou-o de “meu velho amigo”, e acrescentou, referindo-se a ele: “sua produção acadêmica só encontra paralelo na contribuição à política externa dos EUA, ajudando a mudar o mundo, especialmente nos anos 70”. É verdade! Kissinger teve um papel decisivo na implementação da política externa norte-americana nos anos 70, particularmente na América Latina. O “velho amigo de FHC” teve participação direta no golpe de Estado que depôs e assassinou o presidente do Chile (em 11/09/1973), Salvador Allende, eleito legitimamente, levando o terrível general Pinochet ao poder.

Realmente, a capacidade intelectual de FHC não pode ser discutida. Mas o que isso nos adiantou? Além destas frases e mancadas que nada deixam a dever aos deslizes retóricos de Lula, FHC entregou o patrimônio público brasileiro a preço de banana aos grandes capitais privados nacionais e internacionais, depois de sanear empresas públicas com dinheiro do BNDES e financiar essa transferência com juros subsidiados, no maior caso de corrupção da história brasileira (leia mais logo abaixo).
Puxa… será que alguém ainda se lembra disto?? Ah, mas ele não nos fazia passar vergonha durante seus discursos (cof, cof… dá licença que eu vou vomitar).

Mas voltando ao Lula, o que incomoda?
Apesar de toda limitação intelectual de que o acusam, ainda ser reconhecido como porta-voz do terceiro mundo?
Ou quem sabe, ser o presidente com um dos maiores índices de popularidade no mundo, tornando-se um fenômeno internacional?
É… inclusive os “louros de olhos azuis” (a quem ele se referiu metaforicamente) devem estar achando isto, vide seu sucesso no G20. Mas os teimosos louros daqui querem tapar o sol com a peneira procurando detalhes ridículos que possam vir a comprometê-lo. Quanta rigidez… ou será mero preconceito?

( foto: CNN )

[ UPDATE ]
Leia mais:
A era FHC
revista Carta Maior

( em tempo: não sou petista, apenas uma brasileira com suas opiniões )

Concordo com Obama

Publicado: 06/04/2009 em política, vídeos
Tags:, , ,

Sei que a notícia é velha (culpa da preguiça sem fim que atacou a dona deste blog) mas vou postar mesmo assim.
Tá rolando um disse-me-disse pela web, todo mundo falando que Obama surtou porque disse, durante o encontro do G20, que “Lula é o cara!”. Outros sem entender como Lula foi parar ao lado da rainha Elisabeth na foto oficial do encontro.
Só tenho a dizer que me diverti deveras com tudo isto. Nada melhor que uma espetada (by 1º mundo) nos preconceituosos tupiniquins de plantão.
Prontofalei!
😛

Leia mais aqui:
O LFV na sua crônica de hoje conseguiu ser bastante paradoxal quanto ao assunto.
A metáfora dos olhos azuis, chamada de preconceituosa. Será?